alto-falante

cafeteira italiana

Posted in comes e bebes by Fabio Camarneiro on 21/09/2009

b-schonberg-coffee

Café é uma paixão.

Em seu livro História do mundo em seis copos, Tom Standage elege o café como uma das seis bebidas mais importantes da humanidade. Durante os séculos XVIII e XIX, na revolução industrial, foi o café que manteve acordados os trabalhadores nas fábricas.

Cafeteira-001640

Um clássico artefato para o preparo da bebida é o modelo conhecido como “cafeteira italiana”, criada em 1933 pelo italiano Alfonso Bialetti.

Feitas de alumínio, as cafeteiras italianas usam a pressão da água no preparo da bebida, processo semelhante ao de uma máquina de espresso. Dessa forma, o café sai mais encorpado e com mais aroma.

Além da escolha do grão e da sua correta estocagem (o café absorve outros odores, por isso deve ser conservado em embalagens hermeticamente fechadas), algumas dicas para o preparo de uma boa xícara da bebida na cafeteira italiana: use água na tempeartura ambiente; preencha totalmente as partes reservadas para a água e o pó; deixe a água aquecer lentamente; quando o café começar a subir, abra a tampa para evitar que o café fique “aguado”; não deixe toda a água subir, nem o café começar a borbulhar.

Aqui, artigo de João Luís de Almeida Machado sobre a história do café.

Registro aqui meu agradecimento aos irmãos Raquel e André Bertoluci, donos do Café Pequeno (cafeteria e restaurante muito agradável na Vila Madalena, em São Paulo) e à barista Talita Scalabrini, que muito me ensinam sobre a bebida.

Bom proveito!

Advertisements
Tagged with: ,

cervejaria colorado

Posted in comes e bebes by Fabio Camarneiro on 20/09/2009

arq-20081113091653

A cerveja Colorado, produzida em Ribeirão Preto, foi uma grata surpresa ao paladar.

Uma pesquisa sobre a marca descobriu o blog de Rodrigo Campos, muito interessante para os apreciadores da bebida.

Abaixo, as descrições feitas pelo autor:

A Cervejaria Colorado foi fundada no ano de 1995 na cidade de Ribeirão Preto, conhecida pelo seu famoso chope. O carioca Marcelo Carneiro é o responsável pela empreitada. A cervejaria produz chope e cervejas engarrafadas e toda a água utilizada na fabricação dos produtos é captada do aquífero Guarany, uma das maiores e mais puras reservas de água doce do mundo.

A Colorado produz cervejas diferenciadas não somente pela sua qualidade, mas também pelo uso de ingredientes inusitados e genuinamente brasileiros nas suas receitas. Atualmente são produzidas quatro cervejas diferentes:

Colorado Cauim: Cerveja Pilsen com mandioca. O nome Cauim em Tupi se refere a uma bebida fermentada de cereais e mandioca que era produzida pelos índios.

Colorado Appia: Cerveja de trigo com mel de abelhas européias e africanas.

Colorado Indica: Cerveja India Pale Ale (IPA) feita com rapadura. O estilo IPA foi criado pelos britânicos para transportar suas cervejas nas viagens marítimas para a colônia, a Índia. As cervejas estragavam durante a longa viagem. Para prolongar a validade das cervejas foram acrescentadas grandes quantidades de lúpulo, que possui propriedades conservantes.

Colorado Demoiselle: Cerveja Porter com café. O nome Demoiselle é uma homenagem a Alberto Santos Dumont, pois sua família era proprietária de fazendas de café na região de Ribeirão Preto. Demoiselle foi o nome de um dos aviões criados por Santos Dumont. A receita da Demoiselle foi criada com a colaboração do cervejeiro caseiro Ricardo Rosa.

market ipanema

Posted in comes e bebes by Fabio Camarneiro on 08/09/2009

market ipanema

Caminhando por Ipanema, procurando um lugar para almoçar após uma visita à Livraria da Travessa.

De repente, uma lousa no meio da calçada (ou do passeio): steak de mignon com risoto de cogumelos. Em cima da porta, uma placa: Market Ipanema.

Entrei.

Após um corredor de paredes coloridas, um aconchegante pátio no meio dos prédios. Uma simpática hostess, uma mesa vaga, uma caipirinha de lichia (nada especial, diga-se).

O cardápio, apesar de compacto, com poucas opções, parecia equilibrado: saladas, duas opções de massa, carnes e peixes com acompanhamentos bem escolhidos.

Peço um atum com sementes de linhaça, acompanhando arroz integral, quibebe de abóbora e molho oriental. O peixe estava no ponto certo, quase cru em uma pequena parte de seu interior: um corte revelava uma escala de cores do vermelho escuro ao cinza. O molho oriental equilibrava-se delicadamente em tons agridoces. O arroz muito bem preparado; o quibebe cremoso e não muito adocicado.

De sobremesa, um cobler de banana com mel e aveia acompanhando uma bola de sorvete de creme e farofa crocante: muito bom, mas não tão surpreendente quanto o prato principal.

Decoração elegante, bom atendimento, comida excepcional, preço honesto (aproximadamente 30 reais o prato principal).

Vale uma visita.

Market Ipanema. Rua Visconde de Pirajá, 499. Ipanema. Rio de Janeiro – RJ.